A pandemia e a saudade da escola

Publicação: 28/04/2020

Compaixão, solidariedade e empatia serão bens mais preciosos e, por isso, a escola poderá ser melhor do que já é.

“Sou eu que vou seguir você
Do primeiro rabisco até o bê-á-bá.
Em todos os desenhos coloridos vou estar:
A casa, a montanha, duas nuvens no céu
“E um sol a sorrir no papel”.
O Caderno (Toquinho)

Das boas lembranças que tenho da escola, além dos amigos que fiz, o lápis e o caderno me trazem muita saudade. Registravam o que meus professores me proporcionavam de descobertas a incertezas. Porque a vida é isso: descobertas e incertezas.

Aliás, incertezas parecem que estão mais atuais do que nunca. Nas últimas semanas, o Brasil e o mundo têm convivido com um inimigo invisível - Covid-19 - gerando dúvidas, esforços coletivos, frustações e esperança.

Diante da pandemia que assola nosso dia a dia, a escola tem o desafio de se reinventar diante do silêncio do pátio e de seus portões fechados. A suspensão das aulas foi uma medida importante para colaborar no isolamento social.

Nesta situação excepcional, estabelecer uma nova relação pedagógica se tornou um desafio tão grande para educadores quanto combater o novo coronavírus para profissionais da saúde.

Nunca a tecnologia esteve tão presente na Educação. No entanto, as Educação não é um software que se adquire, se utiliza e se descarta. Ela se constrói na relação educador-educando e se repensa todos os dias.

A Educação acontece nesse movimento, um constante repensar, refazer, reconstruir, reinventar, ressignificar, refletir. Aliás, neste dia 28 de abril, comemoramos o Dia Mundial da Educação.

Vivenciar a Educação com uso de tecnologias não é novo, visto que há muito tempo tem estado presente em projetos educacionais em muitos espaços escolares. O novo é quando as relações humanas ocorrem por meio de uma relação ensino/aprendizagem exclusivamente à distância.

O ensino remoto tem limitações e não conseguirá substituir a experiência escolar presencial. Nada substitui o olho no olho, o calor, a riqueza e os mistérios do encontro pessoal.

Acredito que quando tudo isso passar, valores como compaixão, solidariedade e empatia serão bens mais preciosos e, por isso, a escola poderá ser melhor do que já é.

Estou aprendendo que essa privação do contato social nos revela uma saudade até então nunca sentida. Saudade de estar lado a lado, brincando, conversando, aprendendo, desenhando no papel. Nada disso pode ser substituído por uma tela de computador!

Eliseu Gabriel
Professor e vereador de São Paulo (PSB)

Mídias Sociais

Fale com o Vereador

É o presidente da Comissão de Educação, Cultura e Esportes da Câmara Municipal de São Paulo, eleito neste ano de 2020 pela sexta vez. É, também, o Corregedor da Câmara.

Receba nossos informativos

Câmara Municipal de São Paulo

Viaduto Jacareí, 100 - 6° andar - São Paulo/SP

Cep: 01319-040

Telefone: (11) 3396-4000

 

Escritório Político

Av. Agenor Couto de Magalhães, 235

Cep: 05174-000

Telefone: (11) 3902-3543

 

Assessoria de Imprensa

Vivi Bueno

+55 11 3396-4403

vivibueno@saopaulo.sp.leg.br